terça-feira, 16 de julho de 2024
Publicado em 02/07/2024 às 16:41

Estudantes maristas fazem show inédito para celebrar o Dia do Rock

Estudantes maristas fazem show inédito para celebrar o Dia do Rock
Foto: Buena Vista Produtora

Estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental do Colégio Marista Rosário, de Porto Alegre/RS, sobem ao palco do Salão de Atos da instituição, nesta quinta-feira (04), para uma apresentação especial: um show de rock com direito à gravação de videoclipe. O grupo estará acompanhado da tradicional Orquestra Rosariense e todos estarão caracterizados de acordo com o estilo da década musical a que mais se identificam. O Dia do Rock é celebrado em 13 de julho.

A atividade marca o encerramento do projeto desenvolvido na sequência didática da área de linguagens, no primeiro semestre do ano letivo, e que buscou explorar a história do rock desde o seu surgimento, na década de 1950. Durante a performance, a Orquestra tocará a música "It's My Life", da banda americana Bon Jovi, e os estudantes irão cantar a letra trabalhada nas aulas de inglês. O show começa às 11h.

“Será um grande encontro em nome do rock. Várias décadas e vários estilos no mesmo palco: o rockabilly, de 1950; o Beatlemania, de 1960; e o Glam Rock e o Kiss, por exemplo, de 1970. Os estudantes foram convidados a vir caracterizados por década, então, sem dúvida, será um dia para celebrar a força e a autenticidade desse gênero musical”, destaca o professor de Música dos Anos Iniciais e Finais, Estevão Grezeli, que também é regente da Orquestra Rosariense.

Em 2023, o encerramento da sequência didática da área de linguagens contou com a apresentação da música Wasted Years, da banda inglesa de heavy metal Iron Maiden. A performance dos estudantes fez tanto sucesso que foi compartilhada no Instagram pelo perfil oficial da banda no Brasil.

O rock e suas conexões intergeracionais

Durante o projeto de 2024, as turmas do 6º ano do Ensino Fundamental do Colégio Marista Rosário mergulharam na história do ritmo musical com influência da música negra norte-americana, incluindo blues, jazz, gospel, R&B e country. A partir dessas raízes, conheceram os pioneiros do rock, como o “rei” Elvis Presley e a “madrinha do rock”, Rosetta Atkins Tharpe Morrison, além dos primeiros grupos que despontaram nos Estados Unidos. 

A jornada prosseguiu pela década de 1960, destacando a icônica “Invasão Britânica”, marcada pelo surgimento de artistas e bandas inglesas lideradas principalmente pelos Beatles e, posteriormente, pelos Rolling Stones. Nos anos 1970, os alunos exploraram diversas vertentes do rock and roll, como o glam rock, punk rock, rock psicodélico e hard rock, sempre acompanhados por playlists que ilustravam cada época. A evolução do rock foi traçada através das décadas, incluindo o surgimento do heavy metal nos anos 1980 e do grunge, nos anos 1990.

Mas muito além do conhecimento sobre a história do rock, o projeto promoveu uma conexão intergeracional e ampliou o significado do aprendizado, incentivando os alunos a dialogarem com seus familiares sobre as bandas e artistas estudados em sala de aula. “Promover a reflexão sobre a história desse gênero musical, entender os impactos dessa manifestação artística e cultural na sociedade junto com ‘atores’ que a vivenciaram, e abrir espaço para essa música ressoar na escola é um caminho potente e significativo para uma formação integral, criativa, crítica e transformadora”, ressalta a especialista em Projetos Educacionais do Marista Brasil, Carla Tosatto.

Para ela, “é fundamental, na perspectiva da Educação Integral, a construção de um currículo que se vincule com a cultura, os saberes e a realidade dos estudantes; que se vincule com suas vozes, necessidades, linguagens, vivências; bem como com a vida que pulsa dentro e fora dos muros escolares. E é igualmente fundamental a construção de um espaço no qual é possível viver a diversidade, criar, investigar, produzir conhecimento e cultura, exercer protagonismos, vivenciar autorias e aprender de forma significativa e em diálogo constante com as demandas dos nossos territórios singulares e com o mundo”, finaliza Carla Tosatto.

Sobre a Orquestra Rosariense

Formada por estudantes do 4º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio, a Orquestra Rosariense é um tradicional projeto cultural do Colégio Marista Rosário, de Porto Alegre.

Em ensaios e apresentações regulares, por vezes figurando na agenda cultural do Município, as crianças e os jovens que integram a Orquestra manuseiam uma ampla variedade de instrumentos, sinfônicos e populares, que conferem uma identidade sonora única à iniciativa. O repertório vai do rock do Foo Fighters e Bon Jovi a importantes compositores brasileiros, como Alceu Valença e Luiz Gonzaga.

Nos encontros, os estudantes desenvolvem conhecimentos musicais teóricos e práticos, mas também valores, como o protagonismo, o espírito de equipe, a coletividade e a liderança. Por essa razão, o projeto conquistou, em 2018, medalha de prata no Prêmio de Responsabilidade Social do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe/RS). 

Confira a íntegra do espetáculo da Orquestra Rosariense em 2023.

Sobre o Marista Brasil

O Marista Brasil é uma rede de colégios e escolas presente em 20 estados brasileiros e no Distrito Federal, atendendo mais de 97 mil crianças, jovens e adultos em 98 unidades de ensino. Os estudantes recebem formação integral, composta pela tradição dos valores Maristas e pela excelência acadêmica alinhada aos desafios contemporâneos. Por meio de propostas pedagógicas diferenciadas, crianças e jovens desenvolvem conhecimento, pensamento crítico, autonomia e se tornam mais preparados para viver em uma sociedade em constante transformação. Saiba mais em: maristabrasil.org/.


Fonte: Assessoria de imprensa Marista Brasil

Compartilhe essa notícia: