terça-feira, 23 de abril de 2024
Publicado em 27/03/2024 às 14:32

A lua fez clarão

Os luares bailaram sobre San Angel Custódio! Germinado com Diogo Haze, no período índio/jesuítico, primeiramente, na localidade conhecida por Forqueta, na confluência dos rios Ijuí-Mirim com o Rio Ijuí-Guaçu, no atual município de Entre-Ijuís, em 1706, transferida em 1707, com toda a população para a margem direita do Ijuí-Guaçu, onde edificou-se a infraestrutura capaz de acomodar a população, a igreja, a casa dos padres e, demais dependências de todo o complexo.

A lua fez clarão! Ascomemorações dos 150 anos de emancipação político/administrativo de Santo Ângelo Custódio, simboliza no tempo, o período de “independência,” embora,com o poder um pouco menor que o dos estados e da união, ainda assim, há ampla autonomia gerencial municipal,todavia, diante da hierarquia das leis, a lei Orgânica do Município, elaborada pelo executivo/legislativo, legislativo/executivo, deve se encaixar naqueles ditames, sob pena de incorrer em inconstitucional, 

Desmembrado da mãe Cruz Alta, Santo Ângelo torna-se autônomo em 1873, generosamente ou não, o território do município ficou gigantesco, sem dúvidas, uma vasta área territorial, porém, no decorrer dos anos, ante as emancipações, sofre perdas significantes da sua área, culpa que não ser atribuída aos governantes,mas sim, a leis que regem a matéria das emancipações, primeiramente, os intendentes, até o ano de 1930, quando modificou a legislação Federal, passando a denominação de prefeito, que vige até os dias atuais, enquanto o Cel. Firmino de Paula e Silva foi o primeiro intendente de Santo Ângelo, Ulisses Rodrigues teve o privilégio de ser o último intendente (1928/1930, inobstante, isso, foi também, o primeiro a exercer o encargo de prefeito, entre 1931/1934.

Lastreado na produção agropecuária, o desenvolvimento local e regional, não tardou chegar, a partir da introdução forçada de imigrantes, seguida de imigrantes livres, (isso, causou um choque com a cultura vigente dos nativos restantes, uma vez, vitimados pela guerra guaranítica e outras), trazendo consigo, ferramentas, sementes, resultando no desenvolvimento econômico, intelectual, impulsionando o crescimento industrial, a urbanização, infraestrutura no sentido amplo, educandários e, a mecanização aos poucos foi introduzida no meio rural, mas também, as empresas metalúrgicas, moageiras e outras ganham espaço, ainda, as casas de comércio com ferramentas e mantimentos.

Um grande rol de atividades, festividades, jogos, atos solenes, inaugurações e comemorações desenvolvidas no município, pelo decurso dos 150 anos de emancipação, são justos e merecidos, contudo, a população de Santo Ângelo precisa engajar-se nas ações comemorativas, abraçar e envolver-se no conjunto de atividades, no presente e, por igual, aquelas que visam preparar um futuro promissor, porque, o povo e seus ideais, devem andar de mãos dadas, visando edificar sobre o seu território, o mais belo e sonhador futuro para uma comunidade (sei, isso é utopia), eliminar as coisas doentias, porém, sermos auspiciosos qual os luares, para inundar nossas plagas, com serestas de gentes e estrelas.



Compartilhe essa notícia: