domingo, 26 de maio de 2024
Publicado em 10/05/2024 às 16:54

Reencontro de dois ex-vereadores históricos

Reencontro de dois ex-vereadores históricos

Dois ex-vereadores históricos de Santo Ângelo se reencontraram nesta semana para um bate-papo, recordando episódios do passado, e não poderiam deixar de falar sobre o atual cenário, seja da tragédia das enchentes ou sobre o futuro político de Santo Ângelo.

Alberto Wächter e Silvano Saragoso sempre atuaram em trincheiras opostas, mas ao mesmo tempo nutriam respeito pelas ideologias e opiniões de cada um.

Wächter (PP) já foi prefeito de Santo Ângelo por oito meses, com notória administração em termos de gestão. Saragoso  (PDT) era um ferrenho defensor do trabalhismo e tinha em Leonel Brizola o seu grande guia político.

Afora recordar embates duros na Câmara de Vereadores, também entrou em discussão o atual cenário político, mas aí o assunto ficou entre as paredes daquela sala onde degustaram um café.

Por características próprias, Wächter parece que ouviu mais do que falou enquanto Saragoso traçou um cenário com muitas variações e citando alternativas.

O futuro vai dizer se, o que eu imagino que tenham conversado, vai se confirmar.

 

OAB tenta reorganizar a vida de advogados que perderam tudo nas enchentes

Em comovente entrevista concedida pela presidente da OAB de Santo Ângelo, doutora Luciana Meirelles Corrêa, foi possível dimensionar o tamanho dos prejuízos sofridos por muitos advogados pelo Rio Grande afora.

Os mais afetados estão na região do Alto Taquari, Canoas, São Leopoldo, Novo Hamburgo e, principalmente, em Porto Alegre.

Segundo a presidente da OAB local, muitos advogados foram surpreendidos de forma repentina e antes que pudessem salvar equipamentos e processos, a água foi tomando conta.

A habitual lentidão do Poder Judiciário, em todo o seu contexto, já deixou muitos advogados em crise financeira quase permanente por causa da demora na formulação de sentenças e consequentemente pelo atraso no pagamento dos honorários.

Muitos desses advogados perderam tudo nas inundações de seus escritórios. Alguns perderam o carro, outros perderam computadores, processos, mas sobretudo, perderam os conteúdos que estavam armazenados nos equipamentos.

A demora nos andamento dos processos está se acentuando mais ainda agora porque todos os  prazos,  audiências  e  andamento dos processos foram paralisados, porque os tribunais  em Porto Alegre também foram assolados pela chuva e os computadores da Procergs, que rege os comandos técnicos  tiveram que ser  desligados antes de ser atingidos.

Tragédia em cima de tragédia. Até quando mãe natureza?


Sede da Rádio Santo Ângelo/JM é ponto de arrecadação de donativos

Em mais uma tragédia, a Rádio Santo Ângelo/JM estão na linha de frente para ajudar a socorrer as vítimas. É uma longa tradição dos dois veículos de comunicação. A Rádio Santo Ângelo, inclusive numa enchente nos anos 80, mobilizou o Exército de Santo Ângelo para socorrer vítimas na região de fronteira com a Argentina.

Na quinta-feira (9), a diretora Robriane Raguzoni Loureiro reuniu a equipe e comunicou a entrada das empresas na corrente de solidariedade. Produtos de limpeza, higiene pessoal, alimentos e água podem ser encaminhados a sede das empresas, na rua Daltro Filho, 1800.

Os materiais serão recebidos em horário comercial, selecionados, e depois serão enviados à Central do Bem, que centralizou os recolhimentos e seleção de peças no Centro Municipal de Eventos, o antigo Sesi, na Zona Norte.

Também o Sindicato Rural de Santo Ângelo abriu um posto de recolhimento, que igualmente funciona em horário comercial.

 

Prefeito quer foco em projetos resolutivos

 O prefeito Jacques Barbosa reuniu os membros do primeiro escalão do Governo Municipal nesta semana para tratar de estratégias na busca de recursos, especialmente devido aos problemas causados pelas intensas precipitações registradas e que, segundo especialistas, devem se agravar com o tempo, causando danos e prejuízos aos cidadãos.

Também esteve em pauta na reunião, as atuais ações assistenciais e humanitárias e de prevenção para o enfrentamento dos eventos climáticos de grande intensidade das áreas da Saúde, Educação, Desenvolvimento Social, Meio Ambiente e em defesa da vida e do patrimônio do cidadão.

Algumas ações propostas atendem a situações específicas, como os pontos como os recorrentes alagamentos na estrada de acesso à Barra do São João – próximo ao Balneário Corrente de Ouro -, na Buriti e na Rua Silvia Konoratt, no Bairro Aliança, e em outros locais do meio rural.

O chefe do Executivo pediu ainda que os setores essenciais mantenham-se atentos aos editais que serão abertos pelos governos estadual e federal para que o município possa cadastrar os projetos para a captação de recursos.

Está certo o prefeito. Até aqui sua gestão tem sido altamente exitosa na conquista de recursos externos para obras fundamentais para a comunidade.

 

Uma história que comove e fez muita gente derramar lágrimas

Entre as centenas de socorros prestados a mais de cem mil pessoas no Estado, algumas são comoventes e capazes de amolecer qualquer coração mais resistente.

A história de um pai em Canoas que, ao ver a água invadindo sua casa, só teve tempo de encontrar uma mochila e ali dentro, colocar seu filho de apenas oito dias para salvá-lo.

Teve o cuidado de forrar o fundo e as laterais da mochila que panos e um pequeno lençol. Acomodou a mochila com o bebê nas costas e subiu até o telhado até chegar o socorro.

Qualquer descuido poderia ser fatal, tanto para ele como para o filho. Já entregue a um abrigo, um repórter lhe perguntou o que havia restado em sua casa. A resposta foi comovente: “Sobrou apenas meu filho e minha esposa. O resto perdi tudo no meio da água e do barro. Meus bens materiais se foram, mas não perdi a esperança de recomeçar tudo de novo”, foi o final de seu desabafo.

Por isso, não chore quando estiver com alguma dorzinha de cabeça ou uma unha encravada.



Compartilhe essa notícia: