sábado, 22 de junho de 2024
Publicado em 07/06/2024 às 16:36

Unimed Missões realizará primeira cirurgia robótica da região no domingo

Unimed Missões realizará primeira cirurgia robótica da região no domingo

A Unimed Missões/RS dará um passo importante para o futuro da medicina na região com a cirurgia robótica. Neste domingo (9), duas intervenções estão agendadas no Centro Cirúrgico, localizado na torre Leste do Hospital Regional Unimed Missões. Será um marco histórico e iniciará uma nova era para a saúde.

"Nosso novo Centro Cirúrgico foi projetado para oferecer o melhor em tecnologia e infraestrutura, garantindo a segurança e o sucesso de cada procedimento", afirma o presidente Luís Cláudio Madureira.

As intervenções serão possíveis com a tecnologia do Sistema Da Vinci X, um equipamento com tecnologia líder no setor que permitirá a realização de cirurgias minimamente invasivas com maior precisão, segurança e conforto para o paciente.

O Sistema é controlado por um cirurgião através de um console, que terá à disposição uma plataforma com imagem em 3D de alta definição. Isso permitirá ao profissional realizar movimentos mais precisos e incisões menores, o que resultará em menor tempo de internação, recuperação mais rápida e menos dor para o paciente.

Para poder operar com a plataforma robótica, os especialistas passam por uma formação completa com simulações em ambientes virtuais para aprimorar a técnica; prática com aferição de proficiência; realização de um número mínimo de cirurgias sob supervisão; e atualização constante em protocolos e tecnologias.

 

 Impaciência na fila do banco

Os clientes que ainda se utilizam dos caixas de bancos, parecem estar cada vez mais excluídos do mercado. O atendimento vai piorando dia após dia.

O número de funcionários atendendo nos caixas físicos está diminuindo cada vez mais. Onde tinha cinco ou seis, agora tem um, e no máximo dois.

Na medida em que o atendimento vai diminuindo, a impaciência de quem precisa economizar tempo, vai aumentando na mesma proporção.

Ontem, num banco público de Santo Ângelo um cliente estava prestes a  “explodir” depois de ficar sentado na fila por 40 minutos, quando foi socorrido por um conhecido seu,  que conseguiu fazer uma prosaica transferência de valor em  menos de cinco minutos.

O tormento já começa na hora de pedir uma senha para o caixa. Na mesma fila que se pede uma senha para ir ao caixa, tem pessoas pedindo Bolsa Família, como encaminhar seguro-desemprego, outros porque perderam a senha do cartão e até pedindo liberação do saque calamidade do FGTS mesmo que não  tivesse  1  centavo na conta.

Um péssimo atendimento e mau exemplo!

 

Comunidade quer a abertura do Museu Histórico

A transferência da inauguração do Museu Histórico que aconteceria no dia 3 de maio, instalado onde a Prefeitura  funcionou durante algumas décadas, foi por uma justa causa.

Naquela vira do mês de abril para maio, o Rio Grande começou a ser devastado pela maior enchente de sua história. O ato contaria com a presença do governador Eduardo Leite, que também iria ao Hospital Regional das Missões para encaminhar uma verba de R$ 5 milhões destinada  a compra do aparelho de ressonância magnética.

O dinheiro vai ser liberado até quarta-feira e, com certeza, o governador não virá para região antes do final do ano. Por esta razão, a Prefeitura poderia realizar um ato simples e abrir o Museu para incrementar a visita de turistas, já que este é um dos polos de atração das Missões.

A espera pela vinda do governador dentro das circunstâncias atuais, é totalmente irrelevante. Na medida em que a situação do Estado vai melhorando, pode-se marcar uma outra data mais adiante para a vinda do governador, até mesmo para inaugurar o  moderno e caro aparelho.

Motivos para uma vinda futura, com certeza, não faltarão. Por  isso, acho que o Museu deveria ser inaugurado e  liberado,  sem qualquer caráter festivo.

O museu abriga um acervo histórico inigualável, que nenhum Estado brasileiro tem.

Os turistas, que aos poucos estão retornando para as Missões, agradeceriam penhoradamente.

 

Vereador sugere “feirão de fábrica” das empresas locais no Parque de Exposições

Toda vez que surge uma “Feira de Fábricas” em Santo Ângelo, o comércio lojista reage e esperneia e com razão. A alegação é de que aqui são criados os empregos permanentes, aqui são gerados e pagos os impostos, além de outros encargos sociais e fiscais.

Essa pesada carga fiscal obviamente gera um desequilíbrio econômico na comparação de quem vem de fora, pega o dinheiro dos clientes e vai embora. No ano que vem volta de novo.

Mas como a Lei de Livre comércio não consegue impedir este  tipo de feira, o vereador Nivaldo Langer de Moura, o Nêne, sugere que os lojistas se organizem a promovam um feirão parecido, por uma semana ou  dez dias em um dos pavilhões do Parque de Exposições.

 Façam promoções, liquidações de fim de estação, como é o caso agora em que o outono vai dar lugar para o inverno. Penso que tem público, tem mercado, façam pagamentos a prazo nos cartões, enfim, vale a sugestão do vereador.

Não sei se vai vingar, mas seria uma boa alternativa para aquecer as vendas. E mais: o Parque é público e da Prefeitura, por isso, nada de cobrar taxas dos expositores.

 

Uma justa homenagem ao Hélio Costa

Levado pela devastação da pandemia do Covid-19 o ex-vereador e ex-secretário Hélio Costa, vai receber uma justa, digna e  meritória homenagem da Câmara de Vereadores, por iniciativa  do vice-presidente Vando Ribeiro.

O vereador apresentou projeto para homenagear Hélio Costa,  dando o seu nome Centro Municipal de Eventos, o antigo complexo esportivo do Sesi, na zona norte.

Além de vereador e secretário de Relações institucionais, o Hélio Costa era um guerreiro incansável em favor do Esporte, tendo sido um dos fundadores do Olímpia, além de técnico e diretor de futebol da SER Santo Ângelo.

Mas era no seu dia a dia no trato com as pessoas que afloravam as suas virtudes de um ser humano signo de respeito e admiração.

Mais de 80% dos problemas burocráticos da Prefeitura, seja com projetos ou com os funcionários, caiam na sua mesa. Nunca, jamais deixou de atender alguém, ou negar uma solução para o problema que afetava os servidores.

Parabéns ao Vando pela elogiável e meritória iniciativa!



Compartilhe essa notícia: